Como eu estudo | Autodidata

Oi gente, tudo bem?

Eu nunca parei muito pra pensar em como eu aprendo as coisas, porque pra falar a verdade eu sou bem desorganizada. Acho que na maioria das vezes é bem instintivo, aprendo muito observando os outros fazerem e, é assim que tenho focado meus estudos ultimamente. O “meu jeito” de fazer as coisas sempre passou desapercebido, mas agora assuntos como “processo criativo”, por exemplo, tem chamado minha atenção. Com base nisso, destaquei os principais pontos que tem sido importantes para mim na hora de aprender alguma coisa.

Referências visuais: Gosto de guardar milhões de referências e procurar artistas que estão fazendo o que eu gostaria de aprender. Uso bastante as fotografias, mas aprendo mais fácil observando desenho ou pintura – perceber a técnica usada e tals. Nos últimos tempos tenho me focado mais nas técnicas com grafite, então criei uma pastinha no pinterest com tudo o que me inspira, tutoriais e afins. Assim, vou estudando cada parte da referência e tentando fazer – não copiando! A questão aqui é observar o jogo de luz, como foi feito para atingir tal resultado, etc. Se você focar mais na observação da técnica, você vai descobrindo o seu próprio jeito de chegar naquele resultado, é como eu disse, instintivamente. É legal, porque vai desenvolvendo o seu traço, sua identidade visual.

Desenhar um pouco, todo dia: É um desafio pra mim e uma parte muito importante na aprendizagem. Quanto mais você faz, melhor. Quanto mais repete, mais natural/comum fica. Como todo artista – assim eu creio – tenho minhas fases, e tenho muita dificuldade em criar nas fases ruins – aquelas que a criatividade some! Nesses casos “forçar” um pouco, na medida certa, é necessário. Sou super imediatista – ou era – sempre buscava resultados incríveis nas primeiras tentativas e, isso me frustava bastante. Hoje me cobro menos, faço as coisas de maneira mais despretensiosa – tendo em mente que estou tentando aprender mesmo, e tudo bem usar a borracha várias vezes. Carregar o caderno de desenho pra todos os lados também tem se tornado um hábito. Rabiscar, rabiscar, rabiscar. Esse tópico é mais um esforço diário em pegar o jeito para treinar observação, registrar ideias – sem me preocupar muito com perfeição. Tem me ajudado a soltar mais e tentar coisas novas. Eu acho bem chato, mas é bem legal fazer exercícios básicos também (linhas, círculos, luz e sombra, perspectiva)…

Separar dias específicos para estudar: Achei importante separar uns dias em que sento só para criar, onde coloco minhas ideias em prática, e me expresso com arte. Esses dias variam bastante, as vezes eu só vou fazendo o que já estou acostumada, outras pesquiso como fazer tal detalhe e por aí vai. Eu tento sempre me manter livre na hora de criar e, tentar equilibrar melhor a necessidade que tenho de organização – para conseguir desenvolver as coisas mesmo nos dias menos criativos. Aqui é para levar mais à sério, focar nas técnicas, nos detalhes – é onde coloco em prática muita coisa do tópico dois.

Acho que são três pontos simples e muito básicos, que tem me ajudado à não deixar de lado minha vida criativa!

SONY DSC

Algumas pastinhas:

referencias

referencias2

referencias3

referencias4

Canais no youtube (os que mais tenho visto ultimamente):

➳ Happy D. Artist

➳ Emmy Kalia

➳ Katie Jobling

➳ MrBokkei

➳ Lena Danya

➳ agnescecile

Entre tantos outros…

1

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>